• geral@appbg.pt

Comunicado: Sucesso educativo em Biologia e Geologia- uma evolução inquietante

O programa da disciplina de Biologia e Geologia dos cursos científico-humanísticos do ensino secundário entrou em vigor no ano letivo 2003-2004 e, desde a data da sua homologação, este não sofreu qualquer revisão ou reformulação. Esta disciplina tem sido objeto de avaliação externa desde 2006 através da realização de provas de exame nacional (prova 702).

Considerando que:

- A média das classificações de exame (CE) da prova 702 da 1.ª fase para alunos internos, entre 2006 e 2015, é de 9,85 valores.

- A média da classificação de exame (CE) da prova 702 da 1.ª fase de 2015, para alunos internos, é de 8,9 valores.

- A percentagem de alunos internos (portanto com classificação interna de frequência - CIF - nos dois anos da disciplina igual ou superior a 10 valores.) com CE inferior a 9,5 valores em 2015 é de 61% e com média próxima de 50% na totalidade dos anos.

- A disciplina de Biologia e Geologia é apelativa para a maioria dos alunos pela proximidade e atualidade do seu objeto de estudo, assim como, pela importância estruturante nos seus currículos, onde se observa um investimento significativo por parte de alunos e professores, apresentando, porém, resultados médios sistematicamente inferiores aos esperados e aos da maioria das disciplinas curriculares, mesmo científicas (excetuando-se unicamente Física e Química A).

- Foram anunciados novos programas/metas curriculares para a disciplina de Biologia e Geologia para novembro de 2013, não havendo até ao momento qualquer indicação acerca da sua divulgação pública, ao contrário do que aconteceu com a generalidade das disciplinas do ensino básico e com Português, Matemática A e Física e Química A do ensino secundário e, mais recentemente, Latim A (cuja proposta de metas curriculares para o 10º e 11º anos foram objeto de consulta pública até 24 de julho último).

a Associação Portuguesa de Professores de Biologia e Geologia, apoiada pela Associação Portuguesa de Geólogos, vêm publicamente manifestar a sua inquietação e insatisfação pela situação atual nesta área disciplinar, solicitando à tutela e aos organismos competentes:

1. Um ponto da situação sobre os novos programas/metas do ensino secundário para a disciplina de Biologia e Geologia.

2. Que os novos programas, ou a reestruturação dos atuais, estabeleçam um enquadramento objetivo dos conteúdos que os alunos devem aprender, incluindo referências explícitas, claras e detalhadas dos conteúdos concetuais e da componente procedimental, com atividades práticas de concretização obrigatória, o que conduziria a uma maior uniformidade nacional na lecionação da disciplina.

3. A elaboração de provas de exame tendencialmente configuradas com as provas aplicadas em 2014 (que então defendemos que foram provas ajustadas e adequadas) e mais acessíveis aos alunos: a) com melhor adequação à faixa etária e à literacia dos alunos; b) com documentos de suporte mais simples; c) com itens de construção mais orientados e balizados; d) com maior quantidade de itens de seleção que mobilizem conhecimento/raciocínio direto; e) com maior abrangência de conteúdos programáticos; f) com critérios de classificação não interdependentes para o mesmo item.

4. A ponderação da produção de provas de exame 702 constituídas, exclusivamente, por itens de seleção, aumentando, deste modo, a fiabilidade de classificação uma vez que, para um número significativo de alunos, este exame tem também um papel decisivo no acesso ao ensino superior.

5. A implementação de um programa de formação que satisfaça as necessidades reconhecidas pelos professores e para o qual as Associações disponibilizarão a sua colaboração, dentro das suas possibilidades.

Conscientes da importância e do impacte que o aproveitamento insatisfatório na disciplina de Biologia e Geologia tem para a comunidade educativa e para a sociedade em geral, a APPBG e a APG continuarão atentas a esta situação mantendo-se disponíveis para analisar todas as propostas que promovam a qualidade do ensino e aprendizagem e o sucesso educativo dos alunos.

4 de Agosto de 2015,

As Direções da APG e da APPBG

  • 2015-08-04 15:22:15