Nota sobre os resultados das Provas de Exame Nacional do Ensino Secundário de Biologia e Geologia 702 - 2012

A direção nacional da APPBG vem expressar a sua inquietação face aos resultados ora divulgados pelo MEC acerca das provas de exame nacional de Biologia e Geologia.

 

De facto, nas análises/parecer elaborados a propósito destas, tínhamos alertado para a existência de suportes documentais complexos e de difícil interpretação, exigindo níveis de literacia, quer de língua materna quer científica, particularmente elevados e até desajustados para o quadro conceptual de examinandos do 11º ano.

 

Referimos igualmente que a componente de Biologia incidiu sobre um conjunto de conteúdos reduzido, pouco representativo da abrangência dos programas, sendo quase exclusivamente centrada em questões de Biologia Celular e Molecular, negligenciando a abordagem de sistemas orgânicos e uma visão mais macro dos sistemas vivos, o que dificultou a análise e sucesso dos alunos.

 

Considerámos ainda, a existência de uma menor quantidade de itens que entendemos mais acessíveis geralmente destinada a avaliar competências/conteúdos suficientes da disciplina, o que tornou as provas de mais difícil resolução, comprometendo o equilíbrio/correlação entre as avaliações interna e externa e até a aprovação na disciplina, tal como se verificou (20% de reprovações na 2ª fase!).

 

O desvio significativo entre a classificação interna final (CIF) de 14 valores e as médias nas classificações de exame (CE) ora divulgadas para os alunos internos (9,8 na 1ª fase e 7,9 na 2ª fase), assim como as taxas de reprovação na disciplina (10% na 1ª fase e 20% na 2ª fase) constituem motivos de reflexão profunda, na qual a tutela deverá persistir.

 


A Direção Nacional da APPBG