• geral@appbg.pt

Geologia Urbana – Potencialidades Educativas (CF)

Datas:

- 23/01/2021 - Ovar (Dorinda Rebelo): 9h30 às 12h00 + 14h00 às 16h30
- 30/01
/2021 - Viseu (Margarida Morgado): 9h30 às 12h00 + 14h00 às 16h30
- 20/02/2021 - Bragança (Paula Minhoto): 9h30 às 12h00 + 14h00 às 16h30
- 13/03/2021 - Lagos, Faro e Tavira (Luís Rodrigues): 9h30 às 12h00 + 14h00 às 16h30

Local: sessões online (Zoom + Moodle da APPBG)

N.º participantes (mínimo/máximo): 15 / 60

N.º horas de formação: 25 (20 horas online síncronas; 5 horas online assíncronas)

Abertura de inscrições: 18-12-2020, às 9h00

Fecho das inscrições: 9-1-2021, às 23h59

Preço da ação:
Associados da APPBG com as quotas atualizadas até às 23h59 do dia 17-12-2020 = 45€
Associados da APPBG em situação irregular e não associados = 60€

Condições de admissão e critérios de seriação dos candidatos:
a) 1.ª Prioridade - associados da APPBG com as quotas atualizadas, por ordem de inscrição (prioridade até ao dia 26-12-2020, às 23h59);
b) 2.ª Prioridade - associados da APPBG em situação irregular e não associados, por ordem de inscrição.

Sinopse:
A Flexibilidade Curricular coloca novos desafios aos professores, nomeadamente ao nível das estratégias de ensino e de aprendizagem e em relação aos conhecimentos que necessitam de mobilizar para as implementar. Exigem, também, a exploração de conteúdos geológicos numa perspetiva interdisciplinar. A exploração de interações entre Ciência-Tecnologia-Sociedade-Ambiente (CTSA), partindo de contextos reais, ajudam a romper com lógicas de ensino centradas na abordagem de conceitos e a valorizar a interdisciplinaridade na educação em Ciências.
Dada a riqueza da geodiversidade e das diferentes utilizações que são dadas aos recursos geológicos nas nossas cidades, considera-se pertinente o desenvolvimento de uma formação que permita sensibilizar os professores para a utilização dos espaços urbanos como local de estudo e de construção de recursos didáticos, fundamentais para a melhoria da qualidade das aprendizagens dos alunos, para a consecução das competências explicitadas no perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória e para a promoção da educação para a sustentabilidade.
As saídas de campo constituem uma estratégia que, bem planeada e explorada, permite a observação direta de materiais geológicos num contexto familiar e próximo dos alunos. A abordagem da Geologia numa saída de campo deste tipo, apresenta-se como uma perspetiva diferente e complementar do trabalho em sala de aula ao revelar os conteúdos geológicos na sua aplicação quotidiana.

Objetivos a atingir

  • Contribuir para uma reflexão mais aprofundada sobre a perspetiva CTSA no ensino das Ciências;
  • Promover a interdisciplinaridade;
  • Discutir potencialidades de contextos urbanos no ensino e aprendizagem das Ciências;
  • Identificar diferentes tipos de rochas e suas aplicações, como materiais de construção, por exemplo, nas cidades de Ovar, Bragança, Viseu, Lagos, Faro e Tavira;
  • Reconhecer a importância dos recursos geológicos no desenvolvimento das cidades;
  • Partilhar exemplos de recursos didáticos que podem ser utilizados em diferentes níveis de escolaridade, para conhecer a geologia das diferentes cidades;
  • Formar professores para a prática do trabalho de campo no ensino das Geociências, contemplando as componentes pedagógica e científica;
  • Criar métodos e ferramentas que permitam diversificar ambientes de aprendizagem, dando ênfase à realização de atividades de campo;
  • Divulgar locais com elevado interesse científico e pedagógico para o ensino da Geologia.

Conteúdos da ação:

Módulo 1 - O Património Azulejar de Ovar no Ensino da Geologia:

  • Os recursos geológicos na construção e ornamentação de edifícios.
  • Os azulejos tradicionais de fachada: matérias-primas; enquadramento social e histórico; anomalias e principais causas; conservação e restauro.
  • O património azulejar na construção de percursos pedagógico-didáticos.
  • Partilha e discussão de um percurso pedagógico-didático: “Aprender Geologia na rota do azulejo”.

Módulo 2 - A Geologia Urbana do Centro Histórico de Viseu:

  • A diversidade de recursos geológicos existentes no centro histórico da cidade.
  • As aplicações dadas aos recursos geológicos existentes no centro histórico de Viseu.
  • Partilha de exemplos de recursos didáticos construídos para o centro histórico de Viseu.
  • Debate/discussão acerca das potencialidades dos recursos apresentados e da sua adaptabilidade a outras cidades do país.

Módulo 3 - A Geologia Urbana da Cidade de Bragança:

  • Identificação, em carta geológica, das principais litologias regionais.
  • Construção de um guião para uma saída de campo de Geologia urbana presencial.
  • Construção de um percurso no Google Earth para um percurso de Geologia urbana virtual.
  • Identificação das principais rochas aplicadas na cidade de Bragança e a sua relação com as Aprendizagens Essenciais.

Módulo 4 - A Geologia Urbana no Algarve – 3 cidades, 3 oportunidades:

  • A Geologia e Paleontologia do Algarve – alguns exemplos nas rochas ornamentais.
  • Guias de Geologia Urbana de Lagos, Faro e Tavira – como foram produzidos e o que se pode aprender para o contexto de guiões educativos.
  • Diálogos entre a Geologia Urbana e outras áreas do conhecimento – Arquitetura, História e Arte.

Trabalho prático:
Concretização e discussão das tarefas propostas ao longo das sessões e do Trabalho Final Individual (tarefas assíncronas – 5 horas).

Regime de avaliação:
Os formandos serão avaliados na escala de 1 a 10, de acordo com o despacho n.º 4595/2015. Para obter a certificação, é necessária a frequência de, pelo menos, dois terços do total das 25 horas de formação.

Critérios de avaliação:

  • Participação ao longo da formação.
  • Elaboração de um Trabalho Final Individual sobre a exploração das potencialidades dos recursos apresentados nas várias sessões (alusivas à Geologia em algumas cidades portuguesas) e da sua adaptabilidade a outros contextos, integrando a reflexão sobre o contributo do Curso de Formação para o desenvolvimento profissional e o sucesso educativo dos alunos. O trabalho deverá ser desenvolvido em formato digital e submetido na plataforma Moodle.

Nota:
Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação de formação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo de Recrutamento 520.
Para efeitos de aplicação do artigo 9.º do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para a progressão em carreira de Professores do Grupo de Recrutamento 520.

Registo: CCPFC/ACC-109687/20
Modalidade: Curso de Formação
Destinatários: Professores do grupo 520
Formadores: Dorinda Rebelo, Luís Rodrigues, Margarida Morgado, Paula Minhoto
Local: sessões online (Zoom + Moodle da APPBG)
Data de início: 2021-01-23 09:30:00
Data de fim: 2021-03-13 16:30:00
Mínimo: 15
Máximo: 60
Data limite de inscrição: 2021-01-09 23:59:00
Preço para Sócios com cotas regularizadas: €45
Preço para Não sócios/sócios em situação irregular: €60

  • 2021-04-28 11:03:18

Subsites

X CONGRESSO APPBG

Ciências da Terra e Ciências da Vida: Ensino, Aprendizagem e Avaliação - tendências e perspetivas

Jornadas de Refelexão - Outubro 2014

JORNADAS DE REFLEXÃO: "METAS, PROGRAMAS E EXAMES NACIONAIS DE BIOLOGIA E GEOLOGIA - TENDÊNCIAS E PERSPECTIVAS" 11 de OUTUBRO de 2014

IX CONGRESSO APPBG

SUSTENTABILIDADE NA TERRA: DESAFIOS À GEOLOGIA E À BIOLOGIA

Autonomia e Flexibilidade Curricular, Aprendizagens Essenciais e Perfil dos Alunos

encontro destinado aos docentes dos grupos de recrutamento 110 (1º CEB), 230 e 520 (Ciências Naturais | Biologia e Geologia). Formação privilegiada, objetivando um debate aprofundado em torno do Perfil dos Alunos e do Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular, assim como das Aprendizagens Essenciais nos diferentes ciclos de escolaridade